Como vivem as crianças: 

a) em família: cada família tem a sua casa, seus irmãos e sua mãe. Apenas as refeições são feitas coletivamente, no refeitório. Tudo o mais é feito na própria casa sob a orientação da mãe social; 

b) em atividades educativas

b.1. Para esportes o LAR tem a colaboração de voluntários como escola de natação, escola de dança, etc., onde algumas crianças já estão recebendo aulas. Alguns meninos treinam futebol aos sábados sob a orientação de técnico-voluntário.

b.2. As crianças nas idades adequadas estão devidamente matriculadas nas escolas da rede pública de ensino. O transporte é feito com veículo público.

b.3. O lazer é desenvolvido nas instalações do LAR, jogando bola, desenvolvendo ”brincadeira de crianças”, e utilizando brinquedos da brinquedoteca e do parquinho. Além disto existe voluntário que periodicamente comparece e reúne as crianças para atividades recreativas dentro do próprio LAR. Existem também os passeios coletivos com acompanhamento das mães sociais e Diretores do LAR. 

c) apoio social  

c.1. As crianças recebem a orientação de uma Assistente Social, funcionária do LAR, que desenvolve trabalho efetivo da sua área;

c.2. Cada criança possui na secretaria uma pasta onde estão arquivados todos as informações pertinentes: dados pessoais, histórico de vida; quem é sua mãe social; avaliação pediátrica e psicológica; receituário médico se ocorreu algum tratamento e quem é sua mãe social;

c.3. O LAR conta com o trabalho voluntário de psicóloga para o acompanhamento e reestruturação do comportamento da criança, pois, quando são recebidas vêm traumatizadas física e psicologicamente. Embora não se tenha adequações para o atendimento à criança excepcionais, foi acolhido em tenra idade (com seis meses) o menor Vinicius Matteus (05 anos) que apresentou excepcionalidade. Nota-se melhor desenvolvimento de suas funções desde que vem sendo tratado através de eqüoterapia e também pelo trabalho promovido por voluntário e também por profissionais da APAE de Araçatuba. Duas voluntárias estão encarregadas do transporte da criança para os tratamentos.

c.4. Todos os voluntários da Casa firmam um “termo de adesão” onde se dispõem a desenvolver a atividade que indicam, em dia e hora que se dispuserem.